Memórias do Carnaval Jussiapense

 02 de março de 2011

.

Entrudo, era a festividade que acontecia na quaresma, data do início da civilização, quando as pessoas se reuniam no verão, com os rostos mascarados e os corpos pintados para brincarem correndo e saltitando, com o objetivo de sujarem uns aos outros. No Brasil, essa brincadeira chegou por influência dos portugueses em 1723. Com o passar dos anos, surgiram os cordões com as batalhas de confetes e serpentinas.
Os afro-descendentes contribuíram de forma definitiva para o desenvolvimento e originalidade da brincadeira, que espalhou pelo país e ganhou dimensão, tornando-se conhecida como Carnaval, que é  comemorada de maneiras diversificadas em cada região do país.
O carnaval é realizado em Jusssiape, segundo relatos, já que não foi possível conseguir uma prova material, desde o início século XX, entre os anos 10 e 20 . Consta-se que a srª Maria Regina da Silva Pinto, nascida em Jussiape no ano de 1879 e que até hoje possui descendentes nessa localidade, foi a primeira organizadora desses festejos, apresentando os cordões de folia desfilando pelas ruas da cidade em carros de boi ou carroças puxadas por jegue, ornamentados com fitas de seda, acompanhados por um grupo de músicos com instrumentos de sopro para animar a festa. As caretas, pessoas mascaradas e pintadas apareciam nos festejos para chamar atenção do público.
E, para disputar com a srª Maria Regina surge outro cordão, o da srª Emília Alves da Silva, nascida em 1876, na cidade de Rio de Contas-Ba, que tem descendentes em Jussiape até os dias atuais. Posteriormente, o Sr. Olavo da Rocha Luz continuou com a organização do evento, tendo o Sr. Almerindo Dantas seu concorrente principal na disputa dos cordões.
O carnaval acontecia todos os anos nas ruas da cidade, até que no ano de 1951, com a fundação do Esporte Clube Lítero Recreativo Jussiapense, que funcionava de aluguel na casa de propriedade do Sr. Antonio Caires Souza, situada na Praça Coronel Rodrigo Alves Teixeira, atual casa do Sr. José Borges, o carnaval é transferido para esse salão que permaneceu até o ano de 1972 quando da construção do Clube Social Jussiapense situado na Avenida São José com aproximadamente 180 sócios. O desfile dos cordões continuou, o organizador nessa época era Antonio Ferreira, já pela manhã as pessoas montavam nos jegues enfeitados com fitas de seda ou papel crepom com suas caras enfeitadas e saiam pelas ruas. Neste período eis que surge o Carnaval dos Democratas, onde à tarde as pessoas de classe baixa se fantasiavam e saiam em cordões a pé pelas ruas da cidade levando grande folia e animação com muito confete e serpentina, enquanto que a noite, acontecia o baile carnavalesco no salão do Clube social só para as pessoas da classe alta, as quais usavam fantasias de seda e a fantasia mais bonita recebia um prêmio; a filha do organizador da festa se vestia de princesa. Outro organizador dessa época foi Pedro Canário, mesmo com a separação de classe social toda população se divertia.
 A partir de 1982, surgem os primeiros blocos carnavalescos: NAP'S, UNIDOS, ECLIPS, LÁ VAI SACO e SEI LÁ. Todos eles não mediam esforços em apresentar os melhores carros alegóricos e as melhores fantasias, inclusive algumas dessas fantasias eram trazidas da escola de samba Mangueira, do Rio de Janeiro, onde os jovens da comunidade participavam e  enchiam de beleza todas as tardes do carnaval para a contemplação dos admiradores que ocupavam as ruas para a folia. Os carnavalescos desses blocos eram Antonio, João Batista, o artesão Zofir, Ricardo e o animadíssimo Baeca.
 A Praça Rodrigo Alves Teixeira tornou-se local para essas comemorações, onde se instalava um conjunto para animar a festa, o mais requisitado era Raios do Sol, porém a noite, o baile continuava no Clube Social Jussiapense.
No ano de 1993, a prefeitura municipal  com a administração do então prefeito José Santos Luz, assume a organização do evento, totalmente gratuito e em praça pública, seguindo a tradição de enfeitar as ruas e contando com a presença de barracas e bebidas. Durante esse período surgiram  novos  blocos, sendo os mais influentes: ELAS SEM ELES, SOU + EU, OZ MAIOR, TURMA DO GUETO e o irreverente CURRUTELAS (formado por homens  vestidos de mulher).
A administração do prefeito Elpídio Paiva Luz, no ano de 1997, privilegiou o distrito de caraguatí, deixando Jussiape sem carnaval. Porém, a comunidade se união juntamente com Marialva Silva Carvalho, Sílio Luz Souza (vice-Prefeito, na época) e os comerciantes não deixaram o carnaval acabar, realizando a festa por 3 anos seguidos.
Na gestão do prefeito Sílio Luz (2001) a prefeitura retoma a direção e organização da festa.
O carnaval é transferido novamente para o distrito de Caraguataí em 2005, no governo de Elpídio Paiva Luz. Mas a cidade não ficou sem a festa carnavalesca, que aconteceu por dois anos consecutivos organizado pelo então vereador  Edson Caires e sua esposa Suzana Dantas. Em 2009, gestão do prefeito Vagner Neves Freitas, o carnaval continuou sendo realizado no distrito do município.  Com a saída do prefeito Vagner Freitas, o atual prefeito Procópio Pereira de Alencar preferiu deixar a sede sem o centenário e tradicional carnaval para continuar realizando a festividade no distrito.
Após ter sido uma majestosa e glamorosa época, o tradicional, importante cultural e economicamente carnaval jussiapense, passou a não mais existir no calendário dos políticos que governam o município, ficando a população a mercê da vontade de “pessoas” que tomam as decisões sem consultar os principais interessados – os munícipes que assistem a todos os anos as tradições serem arrancadas de suas memórias, seus filhos serem privados de conhecer a forma saudável e animada com que seus pais se divertiam.  
Um povo sem passado, que não preserva suas tradições, é um povo sem memória, sem identidade, por tanto, sem futuro!

 

Por: Suzana Dantas
Colaboração: Michele, Natamy, Henrique, Hayane, Adriana, Vanessa, Alcimar, Daisy, Wallace e Lalesca (estudantes do 1º ano do CEHM).

:

 

home page a rádio programação anuncie na 104,9 FM ! contatos

Papéis de Parede
clique clique clique
Apoios
.